Dezembro Vermelho. Mitos e verdades sobre HIV e AIDS

Postado por: John 04/12/2019 0 Comentários Saúde,

O Ministério da Saúde criou a campanha Dezembro Vermelho a fim de conscientizar a população sobre a prevenção e tratamento da doença. Derrubando mitos sobre como ela é transmitida e orientando a população sobre como as pessoas que contraíram o vírus podem viver com mais qualidade.

Apesar das campanhas que falam sobre a importância em manter relações sexuais com uso de camisinha para prevenir doenças, o número de pessoas que contraem o vírus da imunodeficiência humana (HIV) tem crescido no país. A Secretaria de Estado da Saúde em parceria com o Ministério da Saúde e com o Programa Conjunto das Nações Unidas, afirmam que a cada 15 minutos uma pessoa é infectada com o vírus no Brasil e sete pessoas morrem por dia em São Paulo em decorrência da doença.

Muitas pessoas ainda não entendem como é importante se prevenir e outras ainda carregam certos preconceitos com relação às formas de transmissão do vírus. Pensando nisso, listamos alguns mitos e verdades sobre HIV e AIDS:

  • Existem pessoas que são portadoras do vírus HIV (soropositvo), mas que não manifestam a AIDS. Nesse caso, elas devem tomar medicação por toda a vida para evitar que a AIDS se manifeste;

  • A transmissão não ocorre pelo contato simples, como aperto de mão, abraço ou compartilhamento de talheres, por exemplo. Ela acontece de fato por meio de relações sexuais sem camisinha, transfusões de sangue infectado e pelo compartilhamento de seringas e objetos perfurantes utilizados por pessoas infectadas;

  • Os sintomas da AIDS se manifestam enfraquecendo o sistema imunológico, o que favorece o aparecimento de doenças oportunistas como pneumonia e outras.

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento gratuito para os portadores da doença. Além disso, também existem programas e espaços para que as pessoas façam os exames caso tenham tido uma relação sexual desprotegida. As pessoas que viveram uma situação de risco para HIV podem buscar a PEP (Profilaxia Pós-Exposição) para evitar que o vírus se desenvolva no organismo.

Informação é a chave para a prevenção e para derrubar preconceitos.